Blog

Rostinho em dia, mas e o pescoço?

Publicado em 1 de setembro de 2015

Por Rafael Ferreira

A procura por técnicas de rejuvenescimento aumenta diariamente, todos querem o rosto mais jovem, com menos rugas, tecido firme e iluminado, mas esquecem de uma parte importante no programa de rejuvenescimento, o cuidado com o pescoço.

Assim como a pele do rosto ele também demanda de cuidados especiais para minimizar os efeitos do tempo e não denunciar a real idade, apesar de um rosto isento de rugas.

Muitas vezes o processo de envelhecimento do pescoço acaba sendo até mesmo mais intenso do que o do rosto, pois seus cuidados acabam sendo negligenciados por pacientes e profissionais da estética.

Tratamentos faciais na verdade devem contar com a região da face, pescoço e colo, somente tratando esta tríade é que conseguimos manter a aparência harmônica.

A área do pescoço é geralmente esquecida no momento em que aplicamos filtro solar, os produtos rejuvenescedores e hidratantes, o que faz com que esta região fique totalmente susceptível aos ataques da radiação solar, da poluição e radicais livres.

Apesar de ser uma área que deve ser tratada em conjunto é importante entender que a região do pescoço e colo tem características únicas que a diferenciam da pele do rosto, e devem ser levadas em conta no momento do tratamento, para evitar seu envelhecimento precoce, como demonstrado na figura 1.

Figura 1 – Pescoço envelhecido

Fonte: http://goo.gl/bBP32d

Entender as alterações que acontecem com o pescoço é o primeiro passo para poder tratar essas alterações em direção ao sucesso terapêutico.

Flacidez Tecidual

O processo de envelhecimento cutâneo é desencadeado por uma somatória de fatores, o tecido dérmico juntamente ao hipodérmico e com suporte muscular geram a tonicidade e sustentação do tecido.

As fibras de colágeno promovem o preenchimento enquanto as fibras de elastina promovem a retração e organização tecidual, essas fibras são hidratadas pelas glicosaminoglicanas, sendo o ácido hialurônico uma delas,

Por ataque de radicais livres, diminuição da atividade metabólica e alterações estruturais desencadeadas por hábitos alimentares irregulares e exposição a agentes agressores externos, como a radiação solar, diminuem a funcionalidade desta estrutura.

O amparo de sustentação tecidual também acaba ficando comprometido pois a hipoderme, camada gordurosa, inicia um processo de atrofia com a idade, juntamente com uma frouxidão muscular.

O pescoço é uma região que não tem amparo ósseo de sustentação, como acontece na teste, por exemplo, com isso é totalmente dependente da boa harmonização da função dérmica, sustentação hipodérmica e amparo muscular para poder se manter com boa sustentação.

O primeiro ponto que observamos é a perda da sustentação da matriz dérmica, com isso os contorns faciais se perdem, como demonstrado na figura 2.

Figura 2 – Flacidez de pescoço e perda do contorno facial

Fonte: http://goo.gl/WVc4Dz

O tecido começa a pesar pela ausência de fibras de sustentação e tração de qualidade, é importante observar se também não temos um depósito exagerado de gordura na região, pois essa ao invés de servir de amparo de sustentação, pode gerar peso e acentuar ainda mais a formação da papada do pescoço.

Os tratamentos que focam esta região devem levar em conta o fato da região estar sobre a cartilagem tireoidiana, portanto não é todo recurso eletrotermofototerápico que está disponível para o tratamento desta região.

A proposta da reversão da flacidez tenta devolver as linhas de contorno facial originais, promovendo o alinhamento da região de queixo e mandíbula, bem como o alongamento do pescoço, assim como demonstrado na figura 3.

Figura 3 – Linhas de direção do rejuvenescimento do pescoço

Fonte: http://goo.gl/4J8xuI

As vezes o afinamento cutâneo acontece mais rápido do que o muscular, levando a formação de pregueamentos do pescoço por conta da tração muscular, e também sulcos mais aprofundados, como demonstrados na figura 4, popularmente também conhecida como pescoço de peru. Nesses casos é interessante trabalhar com diminuição da forma muscular, através da aplicação de toxina botulínica, além de promover diminuição dos sulcos com aplicação de preenchimento dérmico, com isso o tecido sofre um alongamento, conhecido como Lifting de Nefertiti.

Figura 4 – Pregueamento muscular no pescoço e demonstração de aplicação de toxina botulínica

Fonte: http://goo.gl/ATkVbl

A sequência de imagens a seguir demonstra como esta combinação de técnicas promove uma melhora no caso.

Figura 5 – Antes e depois do tratamento de pescoço

Fonte: https://goo.gl/9omsWX

Figura 6 – Antes e depois do tratamento da papada

Fonte: http://goo.gl/QuD211

Figura 7 – Antes e depois do tratamento das rugas do colo

Fonte: http://goo.gl/JkDqT7

Tratamentos não cirúrgicos disponíveis

Toxina botulínica: suavizar as marcas musculares do pescoço de peru e promover efeito lifting

Preenchimento dérmico: preencher sulcos, gerar rede de sustentação e rejuvenescimento tecidual

Fios lifting de sustentação reabsorvíveis: geram sustentação ao tecido e promovem rejuvenescimento cutâneo

Injetáveis estéticos: estimulam a regeneração da matriz extracelular e eliminam o excesso de gordura depositada.

Eletroterapia: reorganizam a derme, gerando uma nova rede de sustentação.

Lifting não cirúrgico

Com disparos de ultrassom micro focalizado é possível gerar um lesão em profundidade, que gera uma retração tecidual, remodelando o contorno facial, esta técnica não invasiva vem substituindo procedimentos cirúrgicos no caso de flacidez de nível leve até moderada, podendo inclusive ser utilizada como ação preventiva de intervenções cirúrgicas, praticamente o rosto todo, pescoço e colo podem ser tratados, como mostra a figura 8.

Figura 8 – Áreas de tratamento

Fonte: http://goo.gl/59AseI

Como não existem cortes o tratamento não gera lesões que afastem o paciente das atividades laborais ou mesmo reclusão social, a recuperação não gera desconfortos tampouco riscos de contaminação ou rejeição de materiais, pois a técnica estimula a remodelagem do próprio tecido, podemos ver os resultados na figura 9.

Figura 9 – Antes e depois do tratamento com ultrassom micro focalizado

Fonte: http://goo.gl/WCpyhF