Blog

Laser e LED em tratamentos estéticos – Parte 2

Publicado em 18 de julho de 2017

Por Rafael Ferreira

Recentemente fizemos uma matéria sobre a importância de alguns lasers no tratamento estético, e seus diferentes efeitos no corpo. Dessa vez falaremos sobre mais sobre a luz vermeha e sua aplicação. Já ouviu falar em luz vermelha? E infra-vermelha? Que tal saber um pouco mais sobre elas? Vem com a gente!

Conhecendo a luz vermelha

A luz vermelha é talvez a mais conhecida de todas as luzes em tratamentos médicos, devido sua aplicação pioneira há muitos anos atrás. Até na fisioterapia ela é usada!

No nosso corpo existe uma cadeia metabólica chamada Ciclo de Krebs, responsável por produzir energia no organismo, energia que é mais conhecida como ATP, nossa forma de energia elementar. Quando se usa a luz vermelha, ela age diretamente nessa cadeia, onde há uma aceleração neste ciclo.

Qual o efeito disso? Mais energia produzida! Por isso temos processos metabólicos acelerados quando usamos a luz vermelha. Isso produz:

  • Maior síntese de colágeno e elastina
  • Aumentar cadeia de reparação
  • Melhor cicatrização
Figura 1 - Luz vermelha no tratamento circulatório

Figura 1 – Luz vermelha no tratamento circulatório

Aplicação da luz vermelha

Quando se faz peeling ou tratamentos por radiofrequência, por  exemplo, a pele sofre lesões. Nesse momento a luz vermelha é aplicável, produzindo colágeno de qualidade. Não apenas isso, mas ela acaba produzindo também um efeito chamado fototaxia. Esse efeito aumenta o índice de volume do tecido, diminuindo rugas e estrias.


Confira também: Como tratar estrias


Ela só serve para a pele?

Graças a tecnologia avançada, hoje a luz vermelha pode ser aplicada até mesmo na circulação, já que ela pode levar energia da luz na superfície da pele até as camadas mais profundas do corpo, diminuindo a carga inflamatória dos tecidos.

E a gordura, a luz vermelha por cuidar dela?

Como dito um pouco acima, a luz vermelha aumenta o Ciclo de Krebs, e um dos efeitos disso é um maior gasto energético. Uma das aplicações disso é através de certos equipamentos estéticos, que agem enquanto a pessoa está imóvel. Esses aparelhos podem queimar a gordura localizada de maneira mais simples, já que utilizam a luz vermelha para aumentar o ciclo de respiração das células.

Existem outras aplicações?

Não apenas para eliminação de gordura e recomposição do colágeno, mas a luz vermelha também é útil para a terapia capilar, vascularização, para tratamentos analgésicos e até mesmo para anestesia tópica! Opções é que não faltam para sua utilidade.

derma-blue

Luz vermelha e infra-vermelha são iguais?

Não, a luz infravermelha na verdade é invisível aos olhos humanos. Mesmo assim é SEMPRE necessário utilizar proteção (luvas e óculos), já que toda luz emite radiação. O benefício da luz infravermelha é chegar nas camadas mais profundas do corpo humano, atingindo o sistema linfático e muscular, interagindo com a membrana plasmática. Isso significa que a adesão de componentes do seu tratamento será mais fácil ao usar essa luz.


Clique na foto para assistir o vídeo:

capalaser2

Siga-nos em todas as redes sociais:

Por: Danilo Soares –  Montt